Área urbana da cidade de Jordão-AC, encontro dos rios Jordão e Tarauacá.
Foto: Luiz Azevedo, 2015.

Quem somos

A Andiroba é uma organização da sociedade civil fundada em 1999 e qualificada como Oscip em 2000.

A Andiroba defende a produção florestal como único caminho para a ocupação produtiva da Amazônia, negando veementemente qualquer alternativa econômica que pressuponha o desmatamento da floresta para o cultivo de grãos e a criação de boi.

A Andiroba acredita que a vocação econômica da Amazônia se assenta na oferta de produtos oriundos da diversidade biológica.

Esses produtos, que deverão compor um CLUSTER FLORESTAL, compreendem desde os princípios ativos empregados na indústria da biotecnologia até a oferta de madeira, incluindo-se a produção de água, de sementes florestais e de animais silvestres.

Andiroba eleita para o Conama – biênio 2019/2021

Com mandato até março de 2021, a Andiroba irá se empenhar, no intuito de reforçar o importante papel desempenhado pelo Conama para a conservação da floresta na Amazônia e para o cumprimento dos compromissos assumidos pelo Brasil no âmbito do Acordo de Paris.

Três propósitos vão orientar a atuação da Andiroba no Conama:

  • Ampliar o número de entidades amazônicas registradas no Cnea;
  • Defender a meta de zerar o desmatamento legalizado na Amazônia;
  • Propor ações que promovam o uso econômico da biodiversidade, em conformidade com o modelo de Cluster Florestal.

 

Mais informações sobre as propostas da Andiroba para o Conama podem ser obtidas aqui neste site, na aba “artigos”.

Artigo da semana:

Mostrando passarinho em gaiola, diretor de “Roma” vence Globo de Ouro

Enquanto o filme “Bird Box” mostra passarinhos como indicadores biológicos de um ecossistema desequilibrado, a ponto de levar as pessoas ao suicídio, o longa mexicano “Roma” abusa das cenas com passarinhos em gaiolas. Se o primeiro, politicamente correto, mostra os pássaros contribuindo para salvar a humanidade, o segundo, politicamente incorreto, usa as gaiolas como um clichê, na tentativa de forçar a identificação do espectador com a história.

Clique artigos para ler na íntegra.